The Drew Family's Blog

Just another WordPress.com weblog

Meu entiado, Tucker junho 13, 2010

Filed under: Família/Family — thedrewfamily @ 3:42 am
Tags: ,

Tenho que falar um pouco dos meus entiados.  Agora que estão crescendo, estão me deixando muito orgulhosa.  O Tucker está com 12 anos.  É um rapaz bonito, inteligente, simpático e social.  É claro que com 12 anos ele ainda acha que sabe muito mais que os adultos, mas até nisso ele já melhorou.  Lembro-me como era chato para comer.  Eu chegava a ter dor de cabeça só em pensar em preparar almoço ou janta quando ele estava aqui.  Quando ele tinha 9 anos resolveu que seria vegetariano, vê se pode!  Ele vinha para cá e não comia nada de carne, so queria o macarrão, ou purê de batata.  É claro que isso não era aceitável.  Acreditamos que aqui em casa nós fazemos as régras e todos a seguem.  Começando pelo fato que todos somos “normais” (sem problemas de alergia a abobrinha ou vegetariano aos 9 anos, isso ele pode fazer quando estiver com a mãe).  Assim sendo, agente prova (uma quantidade decente, nada de lambidas na ponta do garfo) todos os pratos que eu faço.  Se não gostar não precisa comer, mas se não comer direito é capaz de ficar sem sobremesa.

Duas viagens ficaram marcadas na minha mente.  Uma foi quando fomos passar a Páscoa na casa da Lois.  Primeiro fomos a um restaurante brasileiro com muito churrasco.  Lembrando que ele não era vegetariano quando estava com a gente, mas não era obrigado a comer um montão de carne, bastava um pedaço.  Bem, depois do primeiro prato cauteloso, ele foi repetir.  Voltou para a mesa com um prato SÓ de carne!!  Porque raios ele é vegetariano se gosta tanto de carne assim?  Nessa mesma viagem, a Lois fez cenoura com brocollis de legumes porque ele disse que ele adorava cenoura com brocollis.  Bem, ele não comeu os legumes e disse que estavam cozidos demais para o gosto dele.  Os legumes estavam ótimos, mas como a mãe estava presente então ele já não era mais cudado. O interessante foi a conversa com a mãe quando eu elogiei o filho dizendo que ele chegou a repetir um prato só de carne no dia anterior, a  mãe me diz que eles comem de tudo sem problema algum. Quem come de tudo?? Será que ela estava falando do menino que não comeu legume algum no jantar??

A segunda viagem foi a vinda deles para passar uma semana em Lancaster no verão.  Eu estava grávida do Nicholas naquela época.  O Tucker já começou a me tirar do sério antes de chegar aqui.  Eu no mercado comprando peixe para grelhar, ele falando comigo no telefone no carro já começou com que peixe você vai comprar? Eu não como esse peixe, a Piper não come aquele… Daí foi a linguíça, depois o hamburguer, carnes, ele tem que saber o tipo do queijo, não quer nem provar sem ver o papel com o nome do  queijo pois ele pode não gostar, o frango ele não gosta, com o que eu temperei a carne, a salada, o legume…  No terceiro dia, nós no restaurante tomando café da manhã ele quer panqueca com isso e aquilo. O pai fala que tudo bem, mas primeiro ele tem que comer o ovo.  Ele vira e diz com uma voz de superioridade que não come ovo.  Até parecia que era a primeira vez que ele estava conosco e tinha que nos dizer o que ele comia ou não.  Ele se esqueceu que ele não é um estranho e que nos sabemos o que ele come ou não.  O menino sempre comeu ovo!!!!  Eu fui a loucura e falei que quando estivesse conosco ele seria uma criança normal, sem frescuras com comida.  Ou ele comia de tudo (com excessão de uma proteína e um legume) ou eu não queria mais ele perto da irmã mais nova (quem come de tudo e idolatra o Tucker e a Piper).  Depois desse dia ele ficou pianinho.

Hoje em dia ele já come direito, sem ter que ser diferente.  Acho que ele percebeu que nem sempre ser diferente quer dizer ser melhor.  Ao contrário, muitas vezes a pessoa que não se enquadra não é bem vista nem popular.  Entretanto, ele ainda precisa chamar a atenção — ou melhor, ser o centro das atenções — como um leonino nato.

Anúncios
 

My stepson Tucker

Filed under: Família/Family — thedrewfamily @ 3:22 am

I want to talk a little about my step kids.  Now that they are older, they make me very proud.  Tucker is 12.  He is a nice, social, intelligent, good looking boy.  Of course he still thinks he knows a lot more than the adults do, but he’s getting better.  I still remember what a pain he used to be during meals.  I used to get headaches just from thinking of preparing lunch or dinner when he was here.  When he was 9, he decided he was a vegetarian, can you believe that! He would come here and wouldn’t eat any meat, only pasta or mashed potato.  Of course that was unacceptable.  We make the rules here and everyone else follows.  Starting with everyone being “normal” (without allergies to zucchini or vegetarian 9 year-olds, he can do those things with his mother).  Thus, everyone must try (a decent size bite, no liking the tip of the fork) the dishes served.  If they don’t like the food, they don’t have to eat it.  However, by not eating properly, they might not get desserts or other treats.

Two trips are forever stored in my mind.  One was Easter at Lois’s home.  First we went to a Brazilian restaurant with a lot of barbecue meat.  Let’s keep in mind that he wasn’t allowed to be a vegetarian when he was with us, but he didn’t have to eat a lot a meat, just one decent piece. Well, after the first place which was carefully served, he went for seconds. He came back with a plate with nothing but steak!!  Why the heck is he a vegetarian if he likes meat so much?  In this same trip, Lois prepared broccoli with carrots because he said he loved that combination.  At lunch he didn’t eat any of his vegetables saying that they were overly cooked for his taste.  The veggies were just fine, but his mother was there so it wasn’t my problem anymore.  Interesting though that she mentioned, later that same day, that they didn’t have any eating problems and ate everything, including vegetables.  Hugh?
The second trip was when they were on their way to visit us in Lancaster in the summer of 2008.  I was pregnant with Nicholas during that time.  Tucker started on me even before he arrived at home.  I was at the grocery store buying fish to grill for dinner and he was talking to me on the phone from his dad’s car asking me what time of fish I was buying.  Because they didn’t like fish, well, he didn’t eat this kind and Piper didn’t like that kind… Over the weekend we had that problem with sausages, hamburgers, steaks… he needed to know what type of cheese was being served, he didn’t like chicken, what I seasoned the meat with, what was in the vegetable and salad dressing… On the third day, at a restaurant having breakfast, Tucker says he wants pancakes with this and that topping.  Chris says that’s fine but first he needs his eggs (protein). Tucker says in his superior voice, that he doesn’t eat egg.  It seemed like he was a stranger to us and had to let us know what he ate and didn’t eat.  He forgot this wasn’t his first time with us and that we know very well what he eats and doesn’t eat.  He always ate egg!!!  I just lost it then and said out loud that that was enough and when he was with us he would act like a normal child without all this BS with food.  Either he ate everything from now one (I allowed one exception for protein and one vegetable) or I wouldn’t want him near his younger sister (who ate everything and looked up to him and Piper for role models).  After this day he never gave us any more grief with food.

Nowadays he eats properly, without the need to be different.  I believe he has noticed that being different doesn’t always mean being better.  Just the opposite, a lot of times when a person doesn’t fit in, he is not seen in very good light.  However, he still has the need to be the center of attention, as a proper leo that he is.

 

Natalie: Realizações / Achivements junho 6, 2010

Filed under: Notícias/News — thedrewfamily @ 11:42 am
Tags:

Não consigo resistir. Estou muito orgulhosa e tenho que compartilhar.   Cada pessoa se destaca em uma área, as vezes é a linguagem, outras vezes artes… a Natalie ainda é difícil de entender para as pessoas que não convivem com ela diariamente. Ela não pronuncia o R e o L perfeitamente.  Agora essa menina está me surpeendendo em outras áreas.
A mais ou menos uns 2 meses ela coseguiu rodar o bambolê.  Ela sempre quis fazer isso e vem praticando desde de dezembro, mas ela fez 4 anos em dezembro e eu não esperava que conseguisse dominar o bambolê tão cedo.  Pois não só ela roda um, como roda dois, diminui e aumenta a velocidade e anda rodando o bambolê. Coisa de 3 semanas atrás ela começou a se balançar sozinha no balanço. Novamente, isso é algo que sempre tentei ensinar quando estamos no parque, mas eu já vi criança de 5 e 6 anos que precisam ser empurradas. Ela já tinha aprendido o pé para frente e para trás, mas não conseguia mecher o tronco no tempo certo. Bem, agora a Natalie se balança com o próprio impulso! Se agente der um empurrãozinho para andar mais rápido, ela se mantem lá em cima e sobe mais ainda. Fiquei encantada com essa capacidade dela.
O que mais me chocou, porém, aconteceu hoje. Umas duas vezes por semana agente tenta praticar o equilíbrio na bicicleta. O Chris tirou as rodinhas e os pedais e ela tenta chegar da porta da garagem a rua sem colocar os péis no chão. Bem, hoje colocamos os pedais de volta e a idéia era que quando ela chegasse na rua ela pedalasse para continuar a andar de bicicleta.  Ela fez tudo direitinho!!  Ela anda de bicicleta sem rodinha e não tem nem 4 anos e meio ainda! Eu achei isso incrível e estou muito orgulhosa. Não sou de falar essas coisas e sempre tento lembrar aos que falam que a Natalie é “super inteligente” que ela é simplesmente normal para a idade dela. Entretanto, ultimamente eu tenho que dar o braço a torcer. Ela anda se sobresaindo em certas coisas e eu estou muito orgulhosa da minha filha.

I can not resist. I am very proud and I have to share. Each person stands out in an specific area, it can be in grammar, or maybe arts…   People who are not around Natalie daily have difficulty understanding her speech. She does not pronounce the R and L perfectly. Now that girl is surprising me in other areas.
About two months she managed to do the hula- hoop.  She’s always wanted to do this and has been practicing since December, but she turned four in December and I didn’t expect her to master the hula-hoop so soon. Not only can she do one hoop, but also two hoops.  She can increase and decrease the speed, walk and turn while doing the hoop.  
Another acomplishment happened about three weeks ago when she began to swing in the swings by herself. Again, this is something that I had always tried to teach her when we were at a playground, but I have seen children of five and six who need to be pushed. She had learned to move her feet to the front and back, but could not move her upper body at the right time. Well, now Natalie is pumping herself on the swing! If we give her a push to get her stared quicker, she keeps it up and goes even higher. I was delighted with this ability. 
What shocked me the most, however, happened today. A couple times a week we have practiced balancing on the bike. Chris took the training wheels and pedals off and Natalie tries to go from the garage door to the street without putting her feet on the floor. Well, today we put the pedals back and the idea was that when she reached the street she started pedaling to resume cycling.  Guess what, she did everything right! She rides a bike without training wheels and she’s not even four years and a half yet! I thought that was incredible and I am very proud of her. I don’t like to say these things and always try to remind those who think that Natalie is “super smart” that she is simply normal for her age. However, lately I have to give in.  She has exceeded expectations on certain things and I’m very proud of my daughter.